Assim como a apresentada por cães, a dermatite em gatos também pode ser comum. Se você tem um gatinho em casa possivelmente já deve ter sido surpreendido enquanto o acariciava e sentiu uma espécie de “espinha” na sua pele, não? Esse é um sintoma da Dermatite Miliar Felina, a qual você fica sabendo mais sobre suas causas e tratamentos com este post.

DERMATITE MILIAR FELINA: O QUE É?

O termo “Dermatite Miliar” se refere ao surgimento de erupções cutâneas, também chamadas de “pústulas” ou “crostas”. Elas surgem especialmente no pescoço, dorso e abdômen do gato em tamanho pequeno, porém em grande número, e vem acompanhadas na maioria das vezes de coceira. A seguir você fica sabendo mais sobre as causas comuns da doença, como tratá-la e quais as principais diferenças para a dermatite apresentada em cães.


4 CAUSAS MAIS COMUNS DA DERMATITE MILIAR FELINA.

  • Parasitas (ácaros nos ouvidos, piolhos...);
  • Dermatite alérgica à picada de pulgas;
  • Dermatite atópica (alergia do ácaro, do pólen...);
  • Alergias alimentares (componente de ração...).

SAIBA MAIS SOBRE AS CAUSAS DA DOENÇA:


PICADAS DE PULGA

Este tipo é um dos mais comuns e acontece devido a possiblidade do gato ser alérgico a estes parasitas (pulgas). Ainda depois das pulgas haverem sido eliminadas de forma total, o alérgeno ainda pode causar coceira no felino e deve-se ressaltar que uma pulga já serve para desencadear todo processo novamente, caso o gato seja alérgico. O tratamento para este tipo de dermatite é simples e consiste na eliminação das pulgas, aliado ao uso de pipetas que possuem ação repelente no inseto antes que o mesmo tenha começado a se alimentar do sangue do seu hospedeiro.


DERMATITE ATÓPICA

Pelo termo “atopia” ser de difícil definição, ele é utilizado para designar o processo no qual o felino é alérgico a diversas coisas, o que gera coceira associadas a pústulas e crostas, conforme citado anteriormente, e que denomina a dermatite miliar. Para que o tratamento seja feito é necessário que o veterinário recorra a corticoides, entre outros tratamentos adjuvantes.

ALIMENTOS

Se não existem pulgas ou outros tipos de parasitas, mas o gato se coça de forma incessante, pode ser que esteja com este tipo de dermatite miliar. Um dos sinais de que os alimentos são a causa do problema é a origem da coceira ser a cabeça e pescoço até com o passar do tempo acabar se tornando generalizada. Muitas vezes se tenta a terapia com corticoides, mas quando a causa é a alimentação, corticoides não oferecem melhoras no quadro

O que pode ser feito então é trocar a dieta do animal e introduzir ração hipoalergênica, ao passar do tempo a melhora dever ser notada. Algumas vezes o especialista pode achar necessário reintroduzir a deita antiga para ter certeza que o problema está mesmo na alimentação.


QUANDO PERIGO VEM DE FORA: PARASITAS EXTERNOS:

  • Piolhos: Este parasita é comum de ser visto onde há muitos gatos e sua picada provoca coceira, o que o animal tenta amenizar coçando de forma intensa, e com isso se formam o que chamamos de erupções comuns da dermatite miliar felina.
  • Ácaro da sarna notoédrica (Notoedres cati): De início as lesões geralmente se apresentam nas orelhas do animal, podendo aparecer também na sua pele do pescoço e plano nasal. Se nota que a pele fica mais grossa devido ao coçar intenso e frequente.
  • Ácaros dos ouvidos: Está ligado ao aparecimento da dermatite miliar no pescoço e ao redor do pavilhão auricular, indo até a nuca do animal.


DIFERENÇAS GERAIS DA DERMATITE MILIAR FELINA PARA A DERMATITE CANINA


Quando falamos de uma forma geral, a dermatite felina possui apresentação muito parecida com a dermatite apresentada nos cães, porém, em casos de Dermatite Alérgica a Picada de Pulga (DAPP), enquanto nos cachorros a perda de pelo ocorre principalmente em regiões como a lombar, nos gatinhos esse problema ocorre de forma mais comum na região do pescoço.


Além disso, uma questão válida de ressaltar é o estresse, um problema que tanto gatos como cachorros são expostos, principalmente quando falamos em animais que moram em apartamentos, casas onde o espaço é menor, ou então saem pouco para lazer. É legal que otutor saiba que em situações de estresse frequentes, os felinos podem apresentar como consequência a dermatite.

No caso do estresse frequente, a dermatite é uma consequência, como por exemplo: Gatos que são expostos a situação de extremo stress, tendem a apresentar perda de apetite e com isso, consequentemente acabam com perda significativa de peso, o que por sua vez acaba fazendo com que o animal fique mais apático e possa vir a apresentar coceira em sua mucosa oral, que ao coçar de forma frequente pode gerar úlceras e o granuloma eosinofílico. Nesse caso, uma coisa acaba levando a outra e a saúde dos felinos acaba sendo afetada.


E aí, curtiu o post de hoje? Esperamos que você tenha conseguido entender um pouco mais sobre a Dermatite Miliar Felina, suas causas principais, como ela pode ser tratada e as diferenças gerais para a dermatite canina. Se você nos acompanhou até aqui e curtiu o post de hoje, não esqueça de compartilhar com seus amigos, ok? Até a próxima!

RECOMENDO